A música pode te salvar ou te matar

A música tem um poder magnífico na vida humana. Ela pode ser instrumento terapêutico e facilitar a reflexão, meditação, relaxamento e diversão. Dentre outras coisas, ela também pode matar! Existem pessoas viciadas em música, que passam horas e mais horas diárias em contato com canções se entretendo. Deixam de existir, deixam de se relacionar com quem está próximo e até de perceber a suas próprias necessidades como humano.

A música é tão excessivamente presente que não há tempo para ouvir a si e muito menos ao outro. Essas pessoas trabalham, viajam, vão à bares, cinemas e frequentemente gostam muito de ler. Porém, estão vivas mortas num loop eterno. São pessoas extremamente previsíveis, que aparentemente acreditam que a vida é só isso. Parece que agora só lhes restam a repetição de comportamentos, assim como fazem os animais, e esperar a hora do enterro.

Para existir não basta estar vivo. É importante ser livre, ser original, ser indivíduo, ser único! Não deixe que a droga roube sua vida, roube sua liberdade e sua autenticidade. O vício não mata só através das drogas. O vício pode ser por leitura, trabalho ou música.

Para viver e existir é importante ir na direção da harmonia na vida, tendo cuidado com os excessos, caminhando na direção de se conhecer, de ouvir a música interior e aprender a dançar o seu ritmo.

Esse texto é um pouco da minha música. Ouça a sua fazendo o teste de saúde Benecer no www.diegobenecer.com.br e saiba um pouco mais sobre você.

Conte comigo!

Diego Sant’ Anna

Psicólogo, Coach e Personal Wellness

Compartilhar